Tags

,

As gerações vêm e vão, passam-se décadas mas a vitória sobre o nazismo em 1945 continua sendo um dos mais importantes eventos para milhões de habitantes do planeta. Por decisão da ONU, os dias 8 e 9 de maio foram proclamados Dias da Memória e da Reconciliação. Na Rússia, o Dia da Vitória, uma festa estimada por todo o povo, comemora-se amplamente a 9 de maio

Os cidadãos de muitos países rendem homenagem à memória dos heróis da Segunda Guerra Mundial no dia 8 de maio.

As organizações de veteranos polacos promovem os seus festejos a 8 de maio. Um dia mais tarde, os veteranos polacos são convidados pela embaixada russa para a cerimônia de deposição de flores junto do monumento aos soldados soviéticos que tombaram pela liberdade deste país. Fala a secretária de imprensa da embaixada, Maria Сhekaleva – Demidovsakia.

“Organizámos esta cerimônia juntamente com a parte polaca e convidamos a participar dela os nossos compatriotas e os veteranos que vivem na Polônia e na Rússia. Os nossos consulados em Poznán, Gdansk e Cracóvia irão promover ações idênticas. A seguir realiza-se uma recepção na embaixada. Os convites são feitos em primeiro lugar aos veteranos. À noite, no Centro Russo de Ciência e Cultura será organizado um concerto dedicado ao Dia da Vitória.”

“Na Alemanha a envergadura dos festejos é, evidentemente, menor do que na Rússia, pois para os alemães este evento está relacionado com a derrota e a capitulação”, – aponta o politólogo e jornalista alemão Aleksandr Rar.

No dia 9 de maio serão depositadas coroas de flores junto de numerosos monumentos erigidos neste país em homenagem aos soldados soviéticos. Representantes das embaixadas e das instituições oficiais da Rússia e dos países da CEI e uma parte da diáspora russa que reside em Berlin e nos seus arredores irão participar das solenidades. Estarão presentes também alguns políticos alemães de “orientação de esquerda”, cujos antepassados participaram da luta contra o fascismo ou estiveram presos nos campos de concentração. Certamente a embaixada russa irá convidar também os veteranos soviéticos, muitos dos quais residem agora na Alemanha.

O presidente da França participará a 8 de maio da cerimônia de deposição de flores junto do Túmulo do Soldado Desconhecido em Paris, na praça General de Gaulle. Pequenas unidades militares estarão perfiladas na praça durante a cerimônia. Mas a parada, semelhante à que se realiza a 14 de julho, dia de tomada da Bastilha, não se realiza, – revela o politólogo francês Dmitri de Kochko.

“O dia 8 de maio é recordado na França da mesma maneira que o dia 11 de novembro, – fim da Primeira Guerra Mundial. Todavia, procura-se comemorar mais a reconciliação com a Alemanha. Naturalmente, ressalta-se a vitória sobre o fascismo. É uma pena, no entanto, que nos últimos anos os franceses tenham começado a esquecer a sua história. Muitos estão convencidos, inclusive, que a vitória sobre o fascismo foi basicamente resultado do desembarque dos americanos e ingleses a 6 de junho de 1944, na Normandia. Infelizmente, nas aulas de História esquecem-se de falar do papel desempenhado pelo Exército Soviético, incluindo as batalhas de Stalingrado e de Kursk. Espero que no próximo ano, quando será comemorado o aniversário da batalha de Stalingrado, tenhamos a oportunidade de lembrar à opinião pública da França o preço que o povo russo e todos os povos soviéticos pagaram pela vitória sobre o nazismo.”

“Em princípios de maio, na Áustria foi realizado um ato solene de homenagem às vítimas da tirania nazista. Esteve presente toda a direção política do país. O regime criminoso foi condenado mais uma vez e recordadas as suas vítimas”, – diz o embaixador da Rússia na Áustria, Serguei Nechaiev.

“As solenidades básicas serão realizadas no dia 8 de maio, em Viena. Vamos depositar juntamente com as instituições russas, os nossos compatriotas e representantes dos círculos sociais flores e ramos no cemitério central, junto do monumento situado na praça Schwarzenberg. Aí mesmo será realizada uma recepção solene. Irão visitar-nos os veteranos da guerra da Rússia e antigos prisioneiros do campo de concentração Mauthausen. Serão realizados festejos populares, irão apresentar-se vários coros de diversas regiões da Rússia. Espero que tudo isso tenha uma envergadura ampla e solene, tal como acontece, aliás, todos os anos.”

“Nos EUA, uma das ações mais impressionantes realiza-se todos os anos a 25 de abril. Foi neste dia que as tropas soviéticas e americanas, – aliadas na coalizão anti-hitleriana, -  se encontraram no rio alemão Elba. Por ocasião desta data, no cemitério de Arlington, em Washington, realiza-se uma cerimônia solene. Junto do monumento são depositadas flores da embaixada da Rússia e dos outros países, de diversas autarquias americanas,” – diz David Willet, veterano da Segunda Guerra Mundial e participante da famoso encontro no rio Elba.

“Lutámos em prol de um único objetivo: acabar com Hitler. Esta luta tornou-nos irmãos. Não permito a ninguém falar mal dos russos na minha presença e gostaria que semelhantes relações continuem e se tornem cada mais íntimas, que os nossos presidentes as compreendam e compartilhem. Aquilo que os russos fizeram por nós é muito importante e muito comovente, jamais esquecerei isso.”

“O nazismo era inimigo da dignidade humana, das mais importantes liberdades e valores, em primeiro lugar, do direito à vida”, – ressalta o veterano americano David Willet.
Fonte: VozdaRussia