Saiba como reduzir o risco de golpe ao navegar pela internet

De acordo com o indicador Serasa Experian, só em maio deste ano foram registradas 161.102 tentativas de fraude contra o consumidor. Diante desse cenário, o Portal do Consumidor, baseado na Cartilha de Segurança para Internet do Cert.br, reuniu dicas importantes para evitar casos de ataques cibernéticos.

  •  Redobre a atenção ao realizar compras pela internet

 Os consumidores que buscam promoções na web devem ficar atentos aos golpes que estão circulando, um dos artifícios mais usados atualmente é a criação de sites falsos com preços de produtos abaixo da média do mercado, conseguindo atingir um grande número de vítimas que, após efetuarem o pagamento, não recebem os itens. Veja alguns cuidados ao utilizar o comércio eletrônico: 

  • Busque sempre opinião de amigos e familiares que já realizaram qualquer compra na loja virtual que está oferecendo o produto. Outra opção é procurar na internet opiniões de outros consumidores em sites especializados em tratar reclamações de clientes insatisfeitos com as lojas.
  • Faça uma pesquisa sobre o valor de mercado do produto. Se a oferta for muito inferior ao anunciado por outros sites, desconfie.
  • Antes de efetuar a compra, procure saber o endereço e o telefone do anunciante, ligue para o número de contato informado no site e busque na internetinformações sobre o CNPJ da loja.

Mesmo após todos esses cuidados, caso caia nas armadilhas dos golpistas, procure oProcon mais próximo de sua residência.

  • Fique de olho ao utilizar redes Wi-Fi públicas 

Evite acessar redes de Wi-Fi desconhecidas, principalmente ao realizar compras online, transações bancária, ou até mesmo acessar suas redes sociais. Pode ser que softwares estejam monitorando e capturando todos os dados que transitam por essa rede aberta, tais como senhas, números de cartão de crédito entre outros. Para aumentar sua segurança:

  • Instale um antivírus para celulares.
  • Desative o acesso automático às redes sem fio, ativando-as apenas quando entender que é necessário utilizar.
  • Opte por atualizar seu aparelho apenas em uma rede Wi-Fi confiável, ou sua rede 3G.
  • Não abra e-mails duvidosos

Atualmente o e-mail é uma das principais ferramentas utilizadas pelos estelionatários para tentar aplicar golpes na web. Salientamos que os bancos jamais fazem atualização de dados enviando uma mensagem na por correio eletrônico ou pedindo por telefone. Por isso, qualquer correspondência virtual suspeita deve ser imediatamente removida, evitando que os criminosos consigam capturar indevidamente suas informações bancárias. Por isso:

  • Mantenha sempre atualizado o seu software de proteção e antivírus.
  • Tenha cuidado com e-mails suspeitos. Ao receber notificações de pagamentos, o indicado é entrar em contato com a empresa solicitante.
  • Desconfie de situações onde é necessário efetuar algum pagamento com a promessa de receber um valor maior.
  • Cuidado ao instalar aplicativos ou programas em seu celular

Uma boa maneira de evitar a instalação de apps maliciosos em seu smartphone é utilizar apenas as lojas oficiais de seu aparelho para efetuar o download.

Antes de realizar a instalação do aplicativo, faça uma análise de acordo com número de vezes ele já foi baixado, as qualificações recebidas e os comentários de pessoas que utilizam o serviço.

  • Cuidado para não pagar títulos fraudados

Um dos golpes que está crescendo no Brasil é o do boleto falso. Os estelionatários enviam um documento com os números do código de barras alterado, desviando o pagamento efetuado pelo consumidor para outra conta. Geralmente a pessoa só percebe o ocorrido após receber cartas de empresa de cobrança informando sobre o débito em aberto. 

Por isso, caso desconfie de um boleto:

  • Verifique se os três primeiros números correspondem ao código do banco emissor do documento. Consulte no site da Febraban (Federação Brasileira de Bancos) cada um deles.
  • Veja se o beneficiado informado na tela corresponde ao fornecedor do produto ou serviço.
  • Se os números não forem iguais, o pagamento não deve ser feito, pois pode ser fraude.
    Fonte: PortaldoConsumidor
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 707 outros seguidores