Tags

,

Instituto Federal Catarinense (Câmpus Camboriú) criou um centro de treinamento de cães- guia, como um projeto piloto, que integra o conjunto de ações do núcleo de atendimento às pessoas com necessidades específicas (NAPNE). O centro de treinamento tem 1.730m2 e a oferece dois cursos específicos: “Treinador de Cães-guia” e “Instrutor  de Cães-guia.”

O projeto contará ainda coma participação de “Famílias Socializadoras” e a entrega do Cão-guia à pessoa com deficiência visual será realizada através de um processo de seleção sem ônus para quem vai recebê-lo.  Cabe esclarecer que são chamadas Famílias Socializadoras as famílias /pessoas que ficam, de forma voluntária, com um futuro cão-guia durante 15 meses. Neste tempo, a família leva o cão a todos os lugares possíveis para que ele se acostume a diferentes ambientes, tendo assim convívio social.

No que se refere aos cursos técnicos, o de Treinador de Cães-guia, tem como objetivo formar profissionais para atuarem como técnicos em Treinamento dos animais.  O curso de Instrutor é uma formação complementar ao primeiro, pois forma pessoas para atuarem como instrutores com o foco na formação dupla (pessoa com deficiência visual + cão guia). Ambos têm carga horária de 1.440 horas, durante um ano, em tempo integral.

O centro também está conduzindo uma campanha para melhorar a convivência social das pessoas portadoras de deficiência visual. Sendo assim, a instituição oferece algumas dicas, as quais,  reproduzimos abaixo.

Melhorando a Interação com Deficientes Visuais:

  • Ao falar com uma pessoa com deficiência visual, fique de frente para ela, tocando no ombro ou braço para que ela possa se localizar melhor;
  • Avise-a seque for afastar-se, evitando que ela fique falando sozinha;
  • Quando estiver num grupo, apresente-a as outras pessoas para facilitar a integração;
  •  Pergunte o que ela precisa antes de tomar algumas atitudes;
  • Avise-a caso tenha obstáculos em seu caminho;
  • Se for guiar o deficiente visual, ofereça seu cotovelo dobrado;
  •  É correto dizer: pessoa com deficiência visual, cego, pessoa cega, pessoa com baixa visão.

Como lidar com cães-guia que estão acompanhando as pessoas cegas:

  • Antes de tudo lembre-se que ele está trabalhando e quanto mais ele for ignorado, melhor será o seu desempenho.
  •  Não toque nem acaricie o cachorro quando ele estiver com a guia;
  • Não ofereça alimento ao animal;
  •  Evite dirigir a palavra ao cachorro.
  • Se você estiver acompanhado de um cão, por favor, controle-o para evitar algum acidente.

A lei federal 111.126/2005 e o decreto 5.904/2006 asseguram o direito de cães-guia ingressarem ou permanecerem com o dono ou com o Instrutor ou treinador ou o voluntário socializador em qualquer ambiente de uso coletivo.
Fonte: Idec

Anúncios