compiwwwO Procon-SP divulgou lista com mais de 200 sites que devem ser evitados pelo consumidor ao fazer compras pela internet. A lista de sites não recomendados

pela Fundação Procon-SP está disponível na página principal do órgão no link “Eviteessessites“, contendo endereço eletrônico em ordem alfabética, razão social da empresa e número do CNPJ ou CPF, além da condição de “fora do ar” ou “no ar”. Veja aqui a lista.

O Procon-SP recebeu reclamações desses sites por irregularidades na prática de comércio eletrônico, principalmente por falta de entrega do produto adquirido pelo consumidor e não obtém resposta dos mesmos para a solução do problema.

De acordo com o diretor executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Góes, esses fornecedores virtuais não são localizados, inclusive no rastreamento feito no banco de dados de órgãos como Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR, responsável pelo registro de domínios no Brasil, o que inviabiliza a solução do problema apresentado pelo consumidor.

Para Góes, é preocupante a proliferação desses endereços eletrônicos mal- intencionados, que em alguns casos continuam no ar lesando o consumidor. “Denunciamos os casos ao D epartamento de Polícia e Proteção a Pessoa (DPPC) e ao Comitê Gestor da Internet (CGI), que controla o registro de domínios no Brasil, mas, o mais importante é que o consumidor consulte essa lista, antes de fechar uma compra pela internet, para evitar o prejuízo”.

Se você pretende fazer suas compras de Natal online, além de consultar essa lista vale tomar alguns cuidados.

– Tenha um bom  antivírus, pois esse  é uma dos componentes de segurança, o ideal é optar por pacotes que incluam antisspam, antisspywarer, firewall.  Esses componentes devem ser atualizados todos os dias.  Mudar as senhas de perfis de Webmail, redes sociais e outros serviços da Web também é uma boa medida preventiva.

– Não se deixar levar por ofertas incríveis, desconfie sempre dos preços exageradamente baixos. Dê preferência à sites que tenham também uma loja física e não só virtual para, em caso de reclamação, você ter maior facilidade de acesso físico.

– Opte, sempre que possível,  pelo pagamento com  cartão de crédito, porque de modo geral as administradoras costumam verificar as lojas que estão se associando.  No entanto, antes de digitar o número de sue cartão e concluir a compra verifique se o site tem certificado e se é chancelado por alguma organização de segurança.

–  Pesquise em páginas de entidades de defesa do consumidor o número de reclamações sobre a empresa que vai comprar. Além da lista citada acima é importante consultar   o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor/ Sindec, do  Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor /MJ  e o site Reclame Aqui têm listas dos produtos e serviços mais reclamados pelos consumidores .

– Veja ainda se a loja virtual possui telefone de atendimento ao consumidor – o ideal é fazer uma ligação teste para saber se funciona de fato – leia as condições apresentadas pelo site e em caso de dúvida mande um e-mail para a empresa solicitando esclarecimento, o que é uma ótima maneira de saber como é a qualidade  e o tempo de resposta do site.

Fique bem atento aos prazos de entrega, pois essa época do ano com o aumento da demanda os atrasos são mais frequentes. Ao concluir a comprar imprima ou salve os comprovantes.
Fonte: Idec

Anúncios