Os cartões de crédito pré-pagos, uma modalidade recente de cartão, têm como principal característica a segurança e praticidade na hora das compras.  Autorizados pelo Banco Central, em 2009, e regulamentado  pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, por meio da Medida Provisória, 615/2013, são uma boa alternativa para jovens que ainda não têm renda fixa. Assim, o cartão pode ser uma alternativa para os pais controlarem a mesada de seus filhos, estabelecendo limites de gastos e saques.

Similar ao cartão de débito – aceito em milhões de estabelecimentos no Brasil e vinculado a bandeira VISA e/ou MASTERCARD  –  pode ser utilizado para fazer compras, contratar serviços, além de  realizar saques em caixas eletrônicos.  Mas estas facilidades não são de graça, para utilizá-lo é necessário pagar  taxas de adesão, mensalidade, recarga e saque. Em caso de perda ou roubo, a 2ª via é cobrada pelo banco emissor do cartão.

As compras não podem ser parceladas, pois por ser pré-pago, ele só faz compras à vista.  O cartão não possui limite máximo de recarga e nem data de validade. Dessa forma,  pode ser também uma boa opção para quem quer economizar ou até mesmo fazer uma “pequena poupança” e guardar o dinheiro para outras finalidades, já que não é necessário ter uma conta bancária para solicitar o cartão.

Algumas empresas nacionais possuem custos baixos para aquisição do cartão pré-pago, mas o consumidor deve ficar atento na hora de adquirir, pois o cartão pré-pago requer alguns cuidados antes da obtenção.  O mais importante é fazer uma  pesquisa sobre todas as taxas cobradas que variam entre operadoras.

Veja abaixo a seleção de cartões pré-pagos nacionais:

  • AcessoCard recarregável
  • Cartão ACG
  • Mundo Livre
  • Ourocard Recarregável visa
  • Bradesco pré-pago Visa Buxx
tabela

Informações retiradas do site das empresas

Outro uso comum desse cartão é para viagem internacional se tornando uma opção aos consumidores que não gostam de levar dinheiro em suas viagens ao exterior.  Atualmente, alguns bancos oferecem esse serviço. Você recarrega com o valor que vai utilizar em sua viagem, que será convertido na moeda escolhida pelo consumidor.

Para quem parcelar as compras, o cartão convencional se apresenta nesse caso como melhor opção, mas para adquiri-lo é necessário comprovar renda, ter nome limpo nos órgãos de proteção ao credito (SPC e SERASA), e ficar atento, evitando  pagar o mínimo da fatura.  Vale lembrar que hoje a taxa de juros dos cartões de credito varia de 10% a 14%, fora os encargos, uma das mais altas praticadas no mercado.
Fonte: Idec

Anúncios