Este assunto é muito importante para todos os leitores, afinal, graças a esta invenção temos este prazer imenso a nossa disposição, então vamos lá:

primeira imagem : Jikji / segunda imagem: Biblia

Sempre foi considerado como primeiro livro impresso uma Bíblia de 641 páginas , impressa pelo alemão Johan Gutemberg. Ele inventou a técnica da impressão provavelmente em 1453, mas só completou seu primeiro livro em 1455. Para imprimir cada página Gutemberg precisou forjar letras em chumbo e depois arranjá-las uma a uma, manualmente, para formar painéis com palavras compondo linhas. Para piorar seu trabalho, o estilo de escrita da época era a gótica, com letras cheias de volteios. Uma vez impressa uma página, era preciso deixá-la secar para depois imprimir no verso. Foram feitos cerca de 300 exemplares, mas nem todos eram iguais – alguns tinham as letras iniciais de cada capítulo caprichosamente pintadas à mão. Gutemberg, filho de um alto funcionário da Casa da Moeda da região da Mogúncia (Alemanha), teve a idéia de criar a imprensa ao ver moedas serem cunhadas. A invenção é considerada uma das mais importantes da história da humanidade pelas profundas mudanças que provocou na difusão do conhecimento no mundo inteiro.

Mas surgiu uma nova informação..

Poucos sabem , mas o primeiro livro impresso no mundo com tipos móveis metálicos, técnica supostamente inventada por Gutemberg, foi impresso na Coreia e é oitenta anos anterior à impressão da Bíblia.

Em julho de 1377, os religiosos Seokcan e Daldam utilizaram tipos móveis metálicos para imprimir o Jikji, um trabalho do monge coreano Beagun Hawsang, que, em 1372, compilou, em dois volumes, os ensinamentos essenciais do “Seon” – nome coreano para o Zen Budismo. Este seria então o mais antigo exemplar de um livro produzido com tipos móveis.

O livro foi adicionado ao programa Memória do Mundo, em 2001, pela Coreia, com a seguinte descrição: “Memória do Mundo > registro Patrimônio> Baegun hwasang chorok Buljo Jikji Simche Yojeol (vol.II)”, ou simplesmente Buljo Jikji Simche Yojeol, ou Jikji.

Jikji é a abreviatura de um documento coreano budista, cujo título completo pode ser traduzido como “Antologia dos Grandes Sacerdotes Budistas’ Zen Ensinamentos”, ou “Ensinamentos de Buda sobre a identificação do Espírito pela prática de Seon”.

O volume do Jikji que sobreviveu foi preservado na Biblioteca Nacional da França e contém apenas 38 páginas, enquanto a versão completa dos 307 capítulos da Antologia é preservada em uma impressão em madeira na Biblioteca Nacional da Coreia.

A obra foi impressa no antigo templo Heungdeok-as, da cidade de Cheongju, com fundos doados pela sacerdotisa Myodeok. A impressão, feita com tipos metálicos móveis, só surgiu na Europa quase oitenta depois, quando Gutemberg imprimiu a Bíblia (1455), um trabalho que o inventor havia iniciado em 1450.

O Jikji esteve na posse de Collin Plancy, encarregado de negócios da embaixada francesa em Seul, até 1887, quando foi vendida em um leilão em Paris, em 1911, adquirida por Henri Vever. Quando Vever morreu, em 1950, a obra foi doada à Biblioteca Nacional da França, onde atualmente se encontra.

P.S: A Bíblia também é o livro mais vendido. Somente de 1815 a 1998 foram comercializados 3,88 bilhões de exemplares no mundo inteiro.
Fonte: EuAmoLer

Anúncios