Nem nossos ídolos mais geniais estão a salvo de uma vida de erros. Relembre alguns casos que artistas de Hollywood queriam que você esquecesse:

1. Alfred Hitchcock

Hitchcock's Logo

Alfred Hitchcock, você sabe, é o mestre do suspense. Seus filmes de terror e suspense o transformaram num dos diretores mais aclamados da história do cinema. Mas Hitch também protagonizou alguns episódios aterrorizantes na vida real. Ele foi acusado de comportamento abusivo com as atrizes de seus filmes. Duas décadas depois de participar de Os Pássaros (1963), Tippi Hedren denunciou Hitchcock em um livro. Segundo o relato da atriz, o diretor era obcecado por ela, a perseguia no set de filmagem e fazia propostas sexuais. Ele tentava controlar tudo o que a atriz vestia ou comia em sua vida pessoal. A jovem Tippi, temendo estragar sua carreira, recusava educadamente às investidas, até que as demandas se tornaram mais agressivas. Quando ela finalmente tentou quebrar seu contrato, no final das gravações de Marnie (1964), Hitchcock ameaçou destruir sua carreira. E cumpriu. Por anos, ele a manteve sob contrato, sem que ela pudesse aceitar outros papéis em outros filmes. Um livro e um filme foram escritos sobre a relação obsessiva e abusiva do diretor com a atriz. A história foi confirmada pelos colegas de set do filmeMarnie.

2. Errol Flynn

Errol Flynn

Ator australiano, naturalizado americano, Errol Flynn era sucesso na década de 40, famoso por seus papéis românticos e seu perfil de playboy. Em 1942, duas meninas menores de idade o acusaram de estupro. Os fãs chegaram a criar clubes para defender o ator. Enquanto isso, no julgamento do caso, a defesa focou em ofender a moral das garotas, e o júri decidiu não acreditar na acusação delas, mesmo com o ator tendo admitido gostar de mulheres mais novas. Depois do escândalo, a popularidade de Flynn cresceu ainda mais, apesar sua reputação como personagem romântico ter caído por terra.

3. Joan Crawford

Mommy Dearest

Joan Crawford foi uma grande atriz de cinema americano, de 1925 a 1977. Em 1945, ela ganhou o Oscar de Melhor Atriz pelo filme Alma em Suplício. Em 1978, um ano após sua morte, sua filha adotiva, Christina Crawford, publicou o best seller “Mommie Dearest”, em que revela o cotidiano de abusos emocionais e físicos que ela e o irmão adotivo sofriam da atriz.  O livro também revela que Joan adotou os filhos como um golpe de publicidade e os retirou do testamento antes de morrer. Alguns amigos atores de Joan Crawford a defenderam das acusações, enquanto outros confirmaram a violência e descaso que a atriz tratava os filhos. Em 1981, a obra de Christina foi adaptada para o cinema.

4. Natalie Wood

Wagner And Wood

Natalie Wood era uma jovem promissora atriz de Hollywood, estrela de filmes como Rebelde sem causa (1955) e Amor, sublime amor (1961). Ela era casada com o também ator Robert Wagner. Em 1981, aos 43 anos, ela, o marido e o ator Christopher Walken – colega dela no filme Projeto Brainstorm (1983) – foram fazer um passeio de barco. Ela desapareceu uma noite e foi encontrada na manhã seguinte afogada na água, e o bote salva vidas do barco estava próximo ao seu corpo. Na época, sua morte foi considerada um acidente. Eis que, em 2011, o capitão do barco apareceu em um programa de TV falando que havia mentido no primeiro depoimento e que havia ouvido uma discussão violenta entre Natalie e Robert. Isso reabriu a investigação sobre o caso. Um adendo à necrópsia revelou que Wood tinha hematomas e arranhões pelo corpo, incluindo pescoço e rosto, que ocorreram antes da queda. O atestado de óbito dela foi refeito, considerando que ela morreu por “afogamento e outros fatores indeterminados”. Nenhum dos dois atores comenta sobre o assunto e a causa da morte de Natalie continua sendo um mistério.

5. Woody Allen

Versus Versace Launch Hosted By  Donatella Versace - Arrivals

Em 1992, Woody Allen travava uma batalha judicial com Mia Farrow, sua ex-namorada. Mia decidiu se separar do diretor quando encontrou fotos eróticas de sua filha adotiva Soon-Yi Previn na casa dele. Soon-Yi tinha por volta de 19 anos na época, mas já se relacionava com Woody Allen desde os 13. O caso ficou pior. Segundo Mia Farrow, o ex também tinha abusado de sua outra filha, Dylan Farrow, que só tinha 7 anos. O comportamento de Woody em relação a Dylan foi considerado intenso e inapropriado. Porém, os psiquiatras que acompanham o caso afirmaram que não haviam indícios de abuso. O promotor do caso sugeriu a Mia que eles não continuassem com o processo, devido à fragilidade de Dylan para enfrentar um tribunal. Allen foi considerado inocente, mas perdeu a guarda e qualquer direito de se encontrar com a menina. Mais de vinte anos depois, Dylan falou abertamente sobre o caso numa carta publicada no site do The New York Times. A polêmica sobre o diretor voltou à tona e ganhou força no Facebook, dividindo opiniões.

6. Roman Polanski

'La Venus A La Fourrure' Premiere - The 66th Annual Cannes Film Festival

Outro diretor famoso envolvido em caso de abuso de menores foi Roman Polanski. Em 1977, ele foi preso por estuprar Samantha Geimer, que tinha 13 anos na época. O diretor chamou a menina para uma seção de fotos para a Vogue Francesa, a drogou com champagne e remédios e abusou sexualmente da garota. Polanski fugiu para a França antes do final do julgamento, e, como tem cidadania francesa, não pode ser deportado. Esse não é o único crime envolvendo o nome do diretor. Em1966, sua esposa grávida, Sharon Tate, foi brutalmente assassinada por seguidores do psicopata Charles Manson.
Fonte: SUPER